quarta-feira, 25 de julho de 2012


Fonte : globo.com Foto: Google
BRASÍLIA - Disposto a acabar com o movimento grevista de professores das universidades federais que já dura mais de dois meses, o governo apresentou nesta terça-feira uma nova proposta ampliando o reajuste na base e também para os professores com mestrado. Pela proposta, os reajustes vão variar de 25% a 40%, em vez de 12% a 40% como na proposta anterior. Os representantes de entidades dos docentes se dividiram em relação ao proposto, mas pretendem consultar as bases e apresentar, na próxima semana, a avaliação final. O governo avisou que não há margem para mais alterações.

- O governo chegou no limite tanto nos aspectos técnicos, a parte acadêmica, quanto aos valores e os possíveis ajustes na tabela. Se não caminharmos para o acordo vamos ficar numa situação bastante delicada. O governo precisa do acordo, quer o acordo. Hoje nenhuma categoria do Brasil está conseguindo arrancar acordo - disse o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Marco Antônio Oliveira.

Com a nova proposta, o impacto financeiro que seria de R$ 3,9 bilhões passou para R$ 4,2 bilhões. E a concessão do reajuste poderá ser antecipada para o primeiro semestre de 2013, em vez de valer só a partir de agosto, como estava na primeira proposta do governo. Pela nova proposta, um professor universitário que dá 40 horas semanais,com mestrado, no último nível da carreira, receberá R$ 5.832,66 (até 2015). Na proposta anterior, o salário chegaria até R$ 5.502,51. Hoje esse professor ganha R$ 4.572,16.

Os dois sindicatos que representam os professores das universidades federais estão divididos em relação à nova proposta: um aceita, outro não. Os novos termos serão submetidos aos professores em assembleia.

- Nossa avaliação é que a proposta é a mesma, na essência. O governo não mexeu na reestruturação da carreira, não avançou. Defendemos o mesmo percentual de reajuste de um nível para outro e não um percentual maior entre os níveis - disse a presidente do Andes (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior), Marinalva Oliveira.

O presidente da Federação de Sindicatos dos Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes), Eduardo Rolim de Oliveira, entendeu que houve avanços:

- A proposta é boa e o governo analisou os 15 itens que priorizamos.

O secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, reforçou os avanços propostos e está otimista com o fim da greve:

- Fizemos um movimento importante para que a greve termine e possamos começar o segundo semestre com tranquilidade. Estamos convictos de que essa é a proposta para fazer o acordo.

Indagado se o fato de o governo ampliar o aumento não poderia estimular a reivindicação de outras categorias do serviço público, Sampaio explicou que essa negociação tem um "componente especial" e faz parte do investimento estratégico do governo na educação. Os pedidos de reajuste de outras categorias, segundo ele, ainda estão sendo analisados pelo governo. Diante da reação diferente de entidades dos professores universitários à nova proposta ontem, Sampaio afirmou:

- Quem vai decidir se a proposta será aceita são as bases. Estamos otimistas que as base irão aceitar que a gente - disse



segunda-feira, 23 de julho de 2012



Prezados(as) Senhores(as), 
A Sociedade Brasileira de Biotecnologia tem a satisfação de convidá-los a participar do 4º Congresso Brasileiro de Biotecnologia a ser realizado na cidade do Guarujá, SP, no período de 28 de outubro a 01 de novembro de 2012 no Casa Grande Hotel Resort. Concomitantemente ao Congresso ocorrerá a Rodada e Feira de Negócios.
O Destino abriga, de maneira espetacular, 27 praias de águas limpas e mar aberto, iluminadas pelo sol e sorriso das crianças e dos surfistas. Além disso, uma delas, a Praia do Tombo, é a única do Brasil a receber o selo internacional Bandeira Azul. E Guarujá oferece muito mais: Trilhas que contam história e emocionam; Mirantes com vista para cenários realmente vibrantes; Ilhas rodeadas por águas multicoloridas; Fortes, Fortalezas e Pavilhões que fazem sentir a nostalgia do passado e encantam também pelos personagens que deixaram pegadas na história. Os acordes dos Shows; as batidas das Casas Noturnas; as Compras e uma Gastronomia multicultural tornam Guarujá um lugar inconfundível, que envolve os visitantes.

Finalmente, resorts, hotéis, pousadas, flats e outros meios de hospedagem com grande número de leitos, além de infraestrutura completa e especializada, fazem de Guarujá um lugar privilegiado para congressos, seminários e outros eventos de negócios.

No escopo de aperfeiçoar, aprimorar e modernizar o 4º CBBiotec vem proporcionar aos profissionais e expositores oportunidades de atualização em assuntos essenciais, além de contatos e novas tendências nesta área. A ciência brasileira tem avançado muito, tanto qualitativa quanto quantitativamente, mas a integração da academia com o setor produtivo é ainda uma conquista que se faz necessária. O objetivo do congresso é incentivar a sólida interação da ciência brasileira com o setor produtivo para transformar conhecimento em produto e aproveitar os profissionais bem qualificados no setor de pesquisa e desenvolvimento das empresas brasileiras. Cientificamente nosso trabalho será da mais alta qualidade, que certamente atrairá a atenção de grande público.
Contamos com sua participação e parceria das empresas nacionais e internacionais, para o sucesso do evento..

 Maria Fatima Grossi de Sa
Presidente da SBBiotec 

terça-feira, 10 de julho de 2012



Fonte: Ciência Hoje

O primeiro imunizante contra esquistossomose é brasileiro e já foi aprovado em testes clínicos iniciais. No Estúdio CH desta semana, Miriam Tendler, médica infectologista da Fiocruz e coordenadora do projeto, fala sobre a pesquisa e as próximas etapas de avaliação da substância.
Em entrevista a Fred Furtado, Tendler conta que a esquistossomose é causada por um verme do grupo dos helmintos, os principais parasitas da humanidade hoje em dia – eles infectam cerca de metade da população mundial. No caso da esquistossomose, são 200 milhões de infectados e 800 milhões de pessoas vivendo em áreas de risco.
“Ela é a segunda maior endemia do planeta, perdendo apenas para a malária”, ressalta a médica. Segundo ela, há drogas que interrompem a doença momentaneamente, mas não há cura. Os sintomas envolvem anemia, náusea, vômitos, constipação e diarreia, mas podem também levar a uma fibrose hepática (formação de tecido fibroso no fígado). O nome popular da doença – barriga d’água – tem origem no aspecto físico resultante desse quadro.
A vacina que Tendler e sua equipe desenvolveram usa como base a proteína Sm14, extraída do Schistosoma mansoni, o verme que causa a esquistossomose. Essa proteína é importante para o parasita – um requisito para ser o princípio ativo de um imunizante – e capaz de induzir uma resposta imune que previne a doença.
Tendler fala ainda sobre os próximos testes clínicos com a nova vacina e a provável disponibilidade comercial do produto
Veja matéria abaixo:

http://cienciahoje.uol.com.br/podcasts/Vacina%20nobre.mp3


Granuloma: vilão da tuberculose

Fonte: BLOG da SBI http://blogdasbi.blogspot.com.br/
Um dos conceitos mais tradicionais da imunologia – de que o granuloma tem um papel protetor contra a tuberculose – foi destruído por uma série de pesquisas elegantes da Dra. Lalita Ramakrishnan, de Seattle, USA. A visão tradicional era de que o granuloma serve para “emparedar” as bactérias, constituindo uma barreira contra a infecção. O novo conceito que emergiu é de que, ao contrário, o granuloma é formado por instrução do próprio Mycobacterium tuberculosis; no seu interior, a morte e fagocitose de macrófagos infectados são utilizadas como uma fábrica de novas bactérias, e fonte de disseminação da infecção.

   

Dra. Lalita Ramakrishnan, University of Washington, Seattle, USA

Os estudos recentes utilizaram os tecidos transparentes de larvas do peixe-zebra - que permitem a visualização microscópica da formação do granuloma ao vivo – e também granulomas hepáticos no camundongo. Com surpresa, foi verificado que a entrada de macrófagos no granuloma é inteiramente controlada pelas bactérias, e não pelo sistema imune. Bactérias virulentas expressam produtos do locus RD1, um sistema de secreção do tipo VII, incluindo a proteína ESAT6. ESAT6 é liberada de micobactérias extracelulares, e também de macrófagos infectados através da formação de poros. ESAT6 induz a produção de MMP9 (metaloproteinase de matriz-9) pelo epitélio. MMP9 é o principal agente recrutador de novos macrófagos pelo granuloma (ver Figura). Macrófagos recrutados entram nos granulomas e permanecem altamente móveis e emitindo membranas, até encontrar e fagocitar vesículas de macrófagos infectados que morreram por apoptose. Estes restos contêm bactérias viáveis, e as bactérias vão crescer nestes novos macrófagos, amplificando a infecção. A fagocitose de corpos apoptóticos inativa as funções microbicidas do macrófago, tornando-o uma “incubadora” de bactérias. Embora a infecção cause necrose e apoptose de macrófagos através de ESAT6, a necrose tem um efeito ainda mais deletério para o hospedeiro. Isto é porque a necrose vai liberar bactérias no meio extracelular e, ao contrário do que se pensava, micobactérias crescem de forma exuberante no meio extracelular, sendo fagocitadas e amplificando mais a infecção.



Figura. Mecanismo de recrutamento de macrófagos para granulomas através da indução de MMP9 em células epiteliais. A proteina de M. tuberculosis ESAT6 pode ser liberada de bactérias extracelulares (consequência de necrose de macrófagos infectados) ou de macrófagos infectados íntegros, através do sistema ESX-1 de formação de poros, que é codificado pelo locus de virulência RD1. ESAT6 induz secreção de MMP9 por células epiteliais, que por sua vez induz motilidade exacerbada e recrutamento de novos macrófagos por um mecanismo não totalmente esclarecido (retirado da referencia 1).

Outro dogma derrubado foi de que o TNF seria responsável pela formação do granuloma, e que na ausência de TNF, os granulomas não se formam e a infecção é mais grave. Os novos estudos mostraram que, na ausência de TNF, os granulomas são formados de forma mais acelerada (referência 4). No entanto, as bactérias proliferam mais, e levam os macrófagos à necrose. O excesso de necrose é que destrói a estrutura dos granulomas, dando a impressão de que eles não haviam sido formados.     

Os estudos com o peixe-zebra confirmaram que a disseminação da infecção se dá pela emigração de macrófagos infectados do granuloma primário e estabelecimento de granulomas à distância. Portanto, através dos produtos do locus RD1, as micobactérias exploram processos que normalmente são protetores para o hospedeiro - como apoptose, quimiotaxia de macrófagos e fagocitose de células apoptóticas – para aumentar o seu número e consolidar a infecção.

Referências:

1. Ramakrishnan L. Revisiting the role of the granuloma in tuberculosis. Nat Rev Immunol. 12: 352-366, 2012.
2. Volkman HE, Pozos TC, Zheng J, Davis JM, Rawls JF, Ramakrishnan L. Tuberculous granuloma induction via interaction of a bacterial secreted protein with host epithelium. Science. 327: 466-469, 2010.
3. Davis JM, Ramakrishnan L. The role of the granuloma in expansion and dissemination of early tuberculous infection. Cell. 136: 37-49, 2009.

4. Clay H, Volkman HE, Ramakrishnan L. Tumor necrosis factor signaling mediates resistance to mycobacteria by inhibiting bacterial growth and macrophage death. Immunity. 29: 283-294, 2008.

Imagem:google

Cientistas espanhóis estão a desenvolver o primeiro gel que poderá prevenir o contágio de HIV durante o ato sexual e que já superou as primeiras experiências 'in vitro' com uma eficácia de 90 por cento. Os resultados do estudo - levado a cabo por investigadores do Laboratório de Imunologia Molecular do Hospital Gregorio Marañón e da Universidade de Alcalá de Henares -, que acabam de ser publicados na revista científica Journal Of Controlled Release, foram hoje apresentados em conferência de imprensa.

Trata-se de um gel ou microbicida de uso tópico para mulheres e homens, de aplicação vaginal ou rectal, que oferece um método de protecção contra o contágio do vírus da SIDA. O gel não produz irritação vaginal nem impede a motilidade dos espermatozóides, como explicou María Anjos Muñoz, do Hospital Gregorio Marañón e responsável pelo projecto, que já tem patente registadaAlém disso o gel actua também como um anti-inflamatório que impede a chegada de células susceptíveis de serem infectadas.

Muñoz explicou que o gel não é tóxico e, depois da sua aplicação, poderia ter uma eficácia na protecção de entre 18 e 24 horas posteriores às relações sexuais.

Javier de la Mata, da Universidade de Alcalá de Henares, explicou que a investigação, que começou em 2003, se baseia na aplicação de um dendímetro (um tipo de molécula de tamanho nanoscópico) que bloqueia a infecção de células epiteliais e do sistema imunológico ao HIV.

Nas experiências realizadas 'in vitro' comprovou-se que esta partícula se une directamente ao vírus e impede que infecte as células, conseguindo uma eficácia de 90 por cento.

Actualmente estão em curso ensaios em «ratos humanizados», isto é, aqueles que não têm problemas no sistema imunológico e que são injectados com células humanas.

Muñoz explicou que ainda é cedo para saber se vai funcionar em humanos, o que só deverá poder comprovar-se dentro de três a cinco anos.

«Achamos que vai funcionar, ainda que teremos de o demonstrar», disse.

Não existe nenhum gel similar no mercado e o mais parecido é um microbicida que se está a pesquisar na Austrália e que se encontra numa fase de desenvolvimento mais avançada que o espanhol.

Esta especialista referiu que estudos de diferentes organizações estimam que se 30 por cento das mulheres usasse um microbicida dessas características evitar-se-iam até 3,7 milhões de novas infecções por HIV no mundo.

Lusa/SOL